MEIO DIA

Estou feliz porque são doze horas,

Estou feliz porque estou com fome,

É uma vontade forte e indescritível,

De comer para alimentar a vida,

Que requer coisas mortas para viver:

Às vezes quentes,

Às vezes frias,

algumas naturais,

Outras já decompostas.


E nessa exposição das energias postas

Fico imaginando quantos foram subjugados

Para que eu pudesse ser saciado.


Um mundo que vai morrendo

para manter um outro vivo.


Mas não quero ter a preocupação de pensar nisso

A mim só interessa que estou com fome.

Sinal vital da vida!

Que se repitam e se repitam as doze horas!

Comentários

Nelci disse…
Aí sim, Mário!!! Gostei pra caramba desse poema ( no computador uso gírias). Me parece tão mais moderno que os primeiros que lia. Eram muito bonitos, mas gostei dessa " modernidade" , se torna mais próximo! Valllllleeeeuuu!
Vera disse…
Aêê....gosteiii tb...achei atual...minha modesta opinião...Prof.Mario...como faço para ser sua seguidora? abraços

Postagens mais visitadas deste blog

FLORES DE MAIO

OS MENDIGOS DE ROMA

TEMPO DE PASSEIO