Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010

MAU EXEMPLO

O que fez a Ferrari com a anuência do Felipe Massa, na corrida de domingo, foi lamentável.
Aos interesses e lucros não interessam os meios para se chegar a um fim.
Tornou-se evidente que também a Fórmula I não é mais uma competição séria. E os brasileiros parece que estão sendo usados com mais frequência. Vejam o Nelsinho Piquett, o Barrichello e agora o Felipe.
Lembro-me que antigamente aconteciam as corridas de cavalos, as famosas "carreiradas" , onde, frequentemente, ocorriam mortes entre os apostadores, quando descobriam que estavam sendo enganados.
Pois a Fórmula I virou uma espécie de "carreirada". Muito se fala que também vem acontecendo no futebol, na arbitragem e em muitos outros esportes. É lamentável!
Eu - podem ter a certeza - não ligarei mais a Globo às nove horas dos domingos para assistir uma corrida que certamente tem "xuxo" no meio.

PASSANDO

Vendo-te ali prostrado a não querer mais nada,
a não sentir fome, nem a idealizar sonhos,
a não se mexer para fugir da goteira que cai,
a ignorar os transeuntes que não o encomodam,
a implorar que não o deixem sozinho,
a solicitar que apaguem a luz,
a não sentir mais a falta dos passarinhos,
a divagar lembrando-se do passado,
sem reservar mais tempo para pensar no futuro.

Vendo-o ali tão abatido e descorado,
arfando com cuidado, sem barulho, mirrado,
querendo iludir os outros, dizendo que está bem.

Vendo-te no presente,
lembrando do passado,
do homem que fostes
e o homem que és,
dentro de mim uma tristeza me sufoca,
ante a evidência da passagem.

Parece estares descendo a serra,
a percorrer os últimos caminhos,
a divisar o vale
onde planejas associar-se à terra.

Cansastes das lutas?
Evitas as batalhas que te manteriam a vida?
Cada vez parece-te mais presente
a sensação inquestionável de que perdeste a guerra.

(23/10/2009)

PENSANDO NO BRUNO

Estou aqui a pensar no Bruno.
Jovem goleiro do Flamengo, dono de um futuro promissor.
Em que mundo de antíteses se enfiou...!
Protagonista de momentos alegres,
pensando que a tristeza não existia.
Suposto protagonista de momentos tristes,
que não vislumbram qualquer esperança.

Qual terá sido a causa disso tudo?
Será culpado?

Sem nada: sem pai, sem mãe, sem dinheiro, fruto da miséria.
Sem uma pessoa capaz de o iniciar no caminho da dignidade.
Triste começo...!

Hoje: um mundo aberto.
Fama.
Riqueza.
Luzes.
Orgias
Deslumbramento que não lembrava do passado.
Qual será a razão que poderá levá-lo a perder tantas conquistas?

Achou que na vida tudo era fácil.
Como fácil foi sair do inferno e ingressar no céu.
Perdeu a noção do limite.
Os mesmos que o levaram para o paraíso,
Seguem com ele o caminho do inferno.

Não tenho nenhuma dúvida de apontar a razão disso:
Faltou-lhe a educação de berço.
Faltou alguém que lhe ensinasse que há o certo e o errado.
A lhe ensinar o valor da vida.
O respeito que se deve ter com o outro.
Imagem
Estive, nesse final de semana, em Itapoá - SC.
É o local onde tenho minha casa de praia. São trinta quilômetros de praias lindas, que começam na divisa com o Estado do Paraná e vão até São Francisco do Sul. Ali ainda as águas são limpas e as areias brancas.
Não tive coragem para um banho, pois nessa época as águas estão frias e bate um vento gelado vindo do leste.
Na minha caminhada pela praia ia observando a destruição que o mar está provocando na orla. Casas condenadas, casas destruídas, árvores inteiras e já secas trazidas pelo mar, barrancos de areia desmoronando, contenções que nada resolvem.
Em poucos anos o mar já destruiu e avançou mais de cinquenta metros em alguns lugares.
Então fiquei a me perguntar: ninguém vai fazer nada? Quem são os responsáveis para impedir que isso continue a acontecer?
Deduzi que os encarregados de cuidar das coisas públicas são aqueles que se candidataram para isso: o prefeito, os vereadores, os deputados, o governador e até o presidente.
A nós, membro…

NOVOS RUMOS

O marido deixou-a quando fazia quarenta anos. Além da idade, restaram-lhe também três filhos. Ela decidiu dobrar o trabalho e estudar as crianças. Logo tinha um engenheiro e um advogado, enquanto o último prestava vestibular para medicina. Ele nunca mais apareceu, nem contou onde estava. Ela, de professora celecista, concursou-se, fez mestrado, virou doutora. Pegou fama. As escolas particulares disputavam seus serviços. Tornou-se professora de faculdade. Muitos alunos se apaixonaram. Ela chegou a alimentar as esperanças de alguns. Não parecia ter a idade que tinha. Sua vida tomou novo rumo quando se convenceu que poderia reiniciar novos amores. Os assédios eram grandes. Decidiu investir-se. Passou a usar roupas de marca. Cuidou-se na alimentação. Melhorou seu corpo e a sala de aula suspirava a cada chegada sua. Porque tinha uma arcada dentária um pouco saltada, consultou um dentista que lhe propôs uma cirurgia corretiva. Um ano de sofrimento e recuperação. Aparelho ortodôntico nos dent…

ORDEM DE MORTO

Em visita a um dos cemitérios da cidade, encontrei uma frase que me chamou atenção: "Aqui jaz um homem muito a contragosto." Confesso ter gostado dela. Me levou a pensar. À primeira vista, serviu para concluir que lutar contra a morte é quase sempre uma batalha inútil. Podemos espernear da forma como quisermos, mas ela, mais cedo ou mais tarde, virá. Lutamos para adiar o seu trabalho, porém ela se instala em nós logo no segundo do nascimento, começando a sua tarefa silenciosa e destrutiva. Mas aquele indivíduo que estava ali, fora mesmo atrevido! Só o levaram para aquele lugar porque lhe faltou a vida. E foi quando a tinha, que determinou fosse registrado a sua insatisfação. Depois desse achado, ando a me perguntar: há os que desejam morrer porque cansaram; há os que morrem porque querem; há os que lutam até as últimas forças para que isso não aconteça. Os que não falam nada, jazem ali sem nenhuma manifestação, apenas as duas datas: a do nascimento e a da morte. O da frase f…

RETROSPECTO

Pois é, na sexta-feira foi o Brasil, derrotado e submetido às gozações argentinas. No sábado chegou a vez deles. Não há mesmo como conciliar esses dois torcedores! Mas se fosse apenas no esporte, ainda bem, o pior é que essas divergências se estendem para quase todos os setores. Nessa copa, temos que concordar que a arrogância argentina, representada pelo seu personagem principal, Maradona, ultrapassou os limites do tolerável. A desforra veio em dose maior. E tudo por culpa deles. Perder, tudo bem, faz parte do futebol, mas cair de quatro, fora o baile que dançaram, foi uma humilhação. Nem diria uma hmilhação, foi um castigo. Ainda tentam arrumar uma justificativa: "perderam, mas o Brasil não só perdeu como bambém voltou antes." Como bom brasileiro, ainda acho que estamos em situação bem melhor para 2014. Seremos os anfitriões da Copa. Não precisaremos nos submeter à acirrada disputa dos jogos classificatórios e, aqui no Brasil, as chances deles serão mínimas e não terão as fan…

DOIS BRASIS

Imagem
fonte/imagem: internet
Agora não adianta ficar chorando o leite derramado. O brasileiro sofre com a derrota que acaba de ter. Do local onde trabalho, num edifício do outro lado da rua, que tem 22 andares, vejo uma bandeira em cores verde e amarelo que está presa na cobertura e vem até o 17 andar. É grande e esvoaça presa apenas numa das pontas. Foi colocada ali na certeza de uma vitória. Bandeiras parecidas havia na maioria dos andares, todas representando a esperança. Recordando a partida, não consigo entender o que aconteceu. Fico a me perguntar como é possível duas situações tão diferentes. Falo do primeiro tempo do jogo quando a Holanda foi totalmente dominada, levou dois gols, um deles anulado e não dava sinais de reação.
Júlio César quase não pegou bola. Uma partida que só deu Brasil, nos primeiros 45 minutos. Mas o segundo foi uma catástrofe. Todos os problemas que estavam encobertos vieram à tona. Só deu Holanda. Até o nosso goleiro falhou naquele primeiro gol deles, mas o …

ARGENTINA CAMPEÃ

Imagem
Circula pela internet uma notícia interessante: o campeão da Copa do Mundo da África do Sul, será a Argentina.
Diz ainda a notícia que quem vem decidindo os campeões do mundo, desde 1998, na França, quando o Brasil vendeu o título, é a poderosa "Nike".
Já nas negociações que antecederam a disputa de 1998, houve uma bem programada escolha dos países que deveriam ser campeões na Copas futuras.
Na época foram distribuídos numerários astronômicas e compromissos assumidos: garantida a França, 2002 seria do Brasil e foi; 2006, da Itália e foi; 2010, da Argentina , vamos ver e 2014 , a campeã será a Alemanha.
O jogador brasileiro Leonardo, na ocasião, chegou a dizer: "Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo de 1998, ficariam enojadas!"
Eu, na qualidade de brasileiro que torço e desejo que o Brasil seja campeão na África do Sul, fico intrigado com uma notícia dessas.
Prefiro me manter na ilusão de um fanático torcedor que se deixa levar pelo pensamento de que a …

QUINTA-FEIRA SEM BOLA

Imagem
Fonte: internet

Mais um dia sem bola. Já está dando saudade. Viva a jabulani!