PENSANDO NO BRUNO

Estou aqui a pensar no Bruno.
Jovem goleiro do Flamengo, dono de um futuro promissor.
Em que mundo de antíteses se enfiou...!
Protagonista de momentos alegres,
pensando que a tristeza não existia.
Suposto protagonista de momentos tristes,
que não vislumbram qualquer esperança.

Qual terá sido a causa disso tudo?
Será culpado?

Sem nada: sem pai, sem mãe, sem dinheiro, fruto da miséria.
Sem uma pessoa capaz de o iniciar no caminho da dignidade.
Triste começo...!

Hoje: um mundo aberto.
Fama.
Riqueza.
Luzes.
Orgias
Deslumbramento que não lembrava do passado.
Qual será a razão que poderá levá-lo a perder tantas conquistas?

Achou que na vida tudo era fácil.
Como fácil foi sair do inferno e ingressar no céu.
Perdeu a noção do limite.
Os mesmos que o levaram para o paraíso,
Seguem com ele o caminho do inferno.

Não tenho nenhuma dúvida de apontar a razão disso:
Faltou-lhe a educação de berço.
Faltou alguém que lhe ensinasse que há o certo e o errado.
A lhe ensinar o valor da vida.
O respeito que se deve ter com o outro.
A existência de deveres individuais.

Terá voltado ao seu estágio primitivo?
Adaptação fácil quando se sai do ruim para o bom.
Quase impossível o contrário!

Deve estar sofrendo,
revoltado,
insatisfeito,
arrependido
temeroso de que não existe volta.

Tirou-se a liberdade.
Acabou com uma vida que não lhe pertencia?
O dinheiro até lhe poderá antecipar a liberdade,
mas jamais ficará livre dos dramas de consciência.

Torço para que nada disso seja verdade!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ