PENSANDO NO BRUNO

Estou aqui a pensar no Bruno.
Jovem goleiro do Flamengo, dono de um futuro promissor.
Em que mundo de antíteses se enfiou...!
Protagonista de momentos alegres,
pensando que a tristeza não existia.
Suposto protagonista de momentos tristes,
que não vislumbram qualquer esperança.

Qual terá sido a causa disso tudo?
Será culpado?

Sem nada: sem pai, sem mãe, sem dinheiro, fruto da miséria.
Sem uma pessoa capaz de o iniciar no caminho da dignidade.
Triste começo...!

Hoje: um mundo aberto.
Fama.
Riqueza.
Luzes.
Orgias
Deslumbramento que não lembrava do passado.
Qual será a razão que poderá levá-lo a perder tantas conquistas?

Achou que na vida tudo era fácil.
Como fácil foi sair do inferno e ingressar no céu.
Perdeu a noção do limite.
Os mesmos que o levaram para o paraíso,
Seguem com ele o caminho do inferno.

Não tenho nenhuma dúvida de apontar a razão disso:
Faltou-lhe a educação de berço.
Faltou alguém que lhe ensinasse que há o certo e o errado.
A lhe ensinar o valor da vida.
O respeito que se deve ter com o outro.
A existência de deveres individuais.

Terá voltado ao seu estágio primitivo?
Adaptação fácil quando se sai do ruim para o bom.
Quase impossível o contrário!

Deve estar sofrendo,
revoltado,
insatisfeito,
arrependido
temeroso de que não existe volta.

Tirou-se a liberdade.
Acabou com uma vida que não lhe pertencia?
O dinheiro até lhe poderá antecipar a liberdade,
mas jamais ficará livre dos dramas de consciência.

Torço para que nada disso seja verdade!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FLORES DE MAIO

OS MENDIGOS DE ROMA

TEMPO DE PASSEIO