QUE LIVRO É ESSE?


Acabo de ler o livro: GUIA politicamente INCORRETO da HISTÓRIA do BRASIL, do jornalista Leandro Narloch.  Confesso que vou relê-lo, porque o assunto é muito complicado. Custa-me entender que um escritor possa contestar tanto a história do Brasil, se não dispuser de bases sólidas para fazer.

Ganhei-o de presente de uma pessoa que conheci em Florianópolis, funcionária pública em Brasília que passava férias na capital catarinense. Disse-me que se sentia revoltada com o que estava escrito naquela obra.
Pediu-me se eu queria de presente e mediante meu assentimento entregou-me o volume demonstrando certo desdém, mas desejando-me uma boa leitura.

Confesso que aquela sua revolta incitou-me uma curiosidade enorme. Razão disso: devorei o livro num fechar de olhos.

Leandro Narloch, que é curitibano, deve ter levado muito tempo em pesquisas, pensei. Deduzi ser muito corajoso para contestar fatos de nossa história dizendo que o que nos ensinaram é mentira. 

Entre outros assuntos:
- Desmascara o episódio da Guerra do Paraguai da forma como foi contado.
- Contesta a existência de Aleijadinho, o escultor mineiro.
- Dá-nos uma visão diferente de como o Acre passou a fazer parte do território brasileiro.
- Derruba o mito Santos Dumont.
- Apresenta um comportamento diferente dos índios brasileiros, que tudo faziam para fugir dos padres catequizadores, afirmando que os seus maiores assassinos foram eles mesmos. 
- Busca nos provar que os próprios negros não queriam a abolição da escravatura e que seus heróis mais conhecidos nunca lutaram pela liberdade da forma como aparece contado nos livros de história.
- Mostra-nos uma visão desconhecida dos escritores Euclides da Cunha, Machado de Assis e Jorge Amado.
- Conta-nos as trapalhadas e sacanagens que foram praticadas por João Goulart, Antonio Conselheiro, Leonel Brizola, Luiz Carlos Prestes, Getúlio Vargas e Lampião.
- Ressalta a importância do sistema de governo implantado no Brasil (Império), pois através dele o território português conseguiu se manter unido; diferente do império espanhol latino americano, que se partiu em dezenas de estados independentes.

É, sem dúvida, um livro polêmico, contestador, desmistificador, mas muito curioso e interessante.
Não sei se conseguirá mudar algum fato da nossa história, mas serve para nos alertar que nem tudo do que nos ensinam nas escolas é verdadeiro.

A história de um povo é feita e contada sempre pelo vencedor, minha cara amiga brasiliense! 
Obrigado pelo livro!  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ