CRÔNICA PARA OS 319 ANOS

Olho Mágico

Curitiba comemora, hoje, 319 anos.
Morar aqui nesta cidade é uma satisfação. Só entende o quanto ela é respeitada, evoluída e admirada quem viaja para outros lugares. Nessas ocasiões temos a possibilidade de comparar e sentir que estamos bem a frente. Todos, imediatamente, associam a cidade à limpeza, à ordem, ao frio, aos monumentos famosos que possui. Lembram suas praças organizadas e avenidas largas. A capital mais européia do Brasil. A maior cidade do sul do país.

Mas, aliado a tantas qualidades, Curitiba também tem os seus problemas. Já não vivemos mais naquele mar de tranquilidade! Por todos os lados - do centro aos bairros - convivemos com problemas de segurança, drogas, assassinatos, assaltos e perturbações do sossego antigo. São problemas que aumentam e amedrontam seus habitantes.

Ao lado das belezas de um Jardim Botânico, de um Parque Barigui, de uma Ópera de Arame, de um Passeio Público, de um Parque Náutico do Iguaçu, ou das luzes e cantos de um Palácio Avenida, ou da magia do Olho Mágico, surgem dificuldades e problemas que maculam e comprometem as maravilhas e a tranquilidade perdida.

Palácio Avenida

O transporte coletivo já não aparece como a espetacular solução que foi. O antigo encanto dos seus "ônibus-sanfonas", que surpreendiam os visitantes pelo seu tamanho e inovação, estão hoje sempre cheios. Seus condutores desrespeitam sinais. Provocam acidentes diários, levados pelo “estresse” e pela obrigação de cumprir horários.

Azulão: o marior ônibus do mundo

As avenidas largas ficaram estreitas e congestionadas. São um milhão e oitocentos mil habitantes e quase um milhão de veículos.
Debate-se e propagandeia-se o metrô, mas o tema já se tornou cíclico e sem solução.
As simbólicas araucárias estão sendo afastadas lentamente, pois se tornaram perigosas. A ave símbolo abandonou a cidade porque não tem lugar onde morar. Seus rios, mortos e podres, sumiram cobertos pelo asfalto e reaparecem enraivecidos a cada tromba d'água, inundando ruas, invadindo casas e carregando tudo.

E a capital já não tem mais como crescer horizontalmente, agora só para o céu. Encaixotada pelas cidades vizinhas que oferecem soluções, ao mesmo tempo que criam problemas e exigem soluções. Os bairros pobres criam os exércitos que vão atrás do bairros ricos tumultuando o sossego dos privilegiados.

Ópera de Arame

Mas apesar de tantos problemas, Curitiba ficou mais alegre pela diversificação de seus habitantes. Temos uma cidade cosmopolita e moderna.
Existem empregos disponíveis, detemos o melhor salário médio do Brasil. Diminuímos a taxa de pobreza. Aumentou a classe “A”. Estamos para receber novos parques e desejamos ardentemente que o metrô saia do papel.

Em meio a tantos contrastes, onde a vida luta para diminuir a morte e a pobreza é combatida para que a qualidade de vida aumente, continuamos a manter a esperança de que nossa querida aniversariante possa sempre melhorar mais.

Jardim Botânico

É isso o que queremos. Parabéns, Curitiba!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ