RÉVEILLON DIFERENTE


Conversei com um dos participantes do “Réveillon” Fora de Época que aconteceu na Praça da Espanha, em Curitiba, na noite do dia 03/03/2012.

O encontro, realizado pela maioria absoluta de jovens, tem uma participação significativa. Uma comemoração meio estranha, mas que tem sentido e explicação: comemorar o verdadeiro ano novo, pois, na opinião deles, o Brasil apenas começa o ano depois do carnaval.

Tudo nessa comemoração é diferente. Estranho para grande parte da população. Os moradores das imediações não são muito favoráveis,  porque durante o encontro têm  assegurado uma noite acordada.

Mas o que fazem esses jovens ali? Antes do encontro, trabalham na internet. A divulgação da festa é feita assim. Marcam os encontros através das redes sociais como o facebook, orkut, e-mails, twitter. Confirmam presenças e acabam se encontrando.

Vão chegando e se acomodando. Sem luxo, bem ao estilo jovem. Conversam, bebem, ouvem músicas, falam sobre mulheres, (e vice versa), embriagam-se; algum baseadinho, provavelmente.

Extravasam seus sentimentos, amontoados num espaço pequeníssimo como é o existente na Praça Espanha. Não há mesas, não há cadeiras. Os bares e lanchonetes das redondezas quase todos fecham suas portas motivados pelo medo. Vendedores ambulantes fazem a festa, mas as bebidas trazem junto (vodca misturada com energizantes); o gelo, compram nos postos de gasolina das imediações.

À meia noite tem espumante e até queima de fogos.

No encontro de sábado estimou-se 25 mil participantes. O ocorrido no ano passado (o primeiro) criou uma polêmica enorme pelos estragos ocorridos. Em razão disso, o poder público tentou impedir a realização desse segundo encontro. Chegou a conclusão que seria impossível. Limitou-se a instalar banheiros químicos e disponibilizar policiamento para que a segurança do local fosse garantida.

Numa roda de amigos que se reencontram no evento, ouvi converas assim:

- Tripa -,  você se lembra das bagunças do Estadual?

- Tempo bom aquele -, Bode.

- O Pixaim era gamado naquela menina da sétima, coitado sempre duro!

- Lembra que ela não ligava para ele, dava preferências ao Roqueiro?

- A Suzinha carregava um vagão pelo Deco. O Deco babava pela Alice.

- A gente precisa por é quente -,  apoiar os Sacis e Garibaldis.

Já imaginaram a força que têm esses jovens! Ela poderia também ser direcionada para outras causas que envolvessem o bem estar comum. Parece que estão ignorando o poder da juventude!
Esse Réveillon diferente veio para ficar.

Comentários

E viva à juventude transviada, gostei da atitude, qdo querem, sabem lutar por seus objetivos...pena q muitos usem drogas...mas a maioria está aí para fazer acontecer!
Abço Mário, ótima semana!

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ