A CAPITAL DO PANTANAL

Corumbá é considerada a Capital do Pantanal. No território desse município está 60% do pantanal sul mato grossense.

Localizada no lado direito do rio Paraguai,  a cidade e seus arredores são muito lindos para quem chega de avião. Uma visão exuberante do rio e dos alagados  a se perder de vista.

Fica  a 430 quilômetros de Campo Grande. Se chega facilmente por terra, mas o avião é o meio mais eficiente. Possui um aeroporto muito bom com pista que mede 2 mil metros,  oferecendo segurança de pouso e decolagem.

A cidade quase não possui construções novas e as antigas estão mal conservadas. Muitas casas centenárias  fechadas e já com árvores crescendo em seus solares.

Não achei uma cidade de construções bonitas. Talvez em razão da má conservação e antiguidade: foi um dos pontos estratégicos para as operações militares da Guerra do Paraguai.

Por ser uma cidade turística, possui grande estrutura de hotéis e pousadas. O hotel onde me hospedei estava lotado de turistas. Quase todos vinham para pescar, principalmente no rio Paraguai.

Sua maior fonte de renda não é o turismo, como todos acham que seja. São os minérios, produção de cimento e outros derivados extraídos do solo e do subsolo e que carregados em barcaças, descem o rio para  exportação.

Corumbá faz divisa seca com a Bolívia. A cidade de Arroyo Concepción -  no país vizinho -  desenvolve um grande comércio de venda de produtos importados. Ali se comercializa de tudo e com preços muito abaixo dos praticados no Brasil. Uma blusa de couro que aqui custa cerca de 350  reais, lá é vendida a 100 reais.

Mas a cidade boliviana não tem qualquer estrutura. Possui uma população pobre e feia, descendentes de índios, perambulando mal vestidos pelas ruas,  quase todas de terra. 


O que chama  atenção na cidade de Corumbá é o incalculável número de Chalanas -  a embarcação típica do rio Paraguai.  Quando não estão ancoradas, passam o tempo subindo ou descendo o rio transportando turistas que lotam todos os andares onde bebem, cantam, dançam e gritam.

Pela presença do rio e os pantanais, predomina um calor muito alto  para uma pessoa como eu, acostumada ao frio curitibano.

Sem dúvida, quem quiser sentir e conhecer coisas diferentes e apreciar belezas naturais indescritíveis, marque uma viagem para Corumbá, a Capital do Pantanal. 

As diárias não são caras, a comida típica  é excelente e os passeios de chalanas são irresistíveis naquelas águas históricas do grande rio Paraguai.  

Comentários

Anônimo disse…
Sempre relatando as viagens...
Abraço, Fausto

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ