DESTINO

Após incontáveis tentativas,
Ana cansou,
se esgotou,
chorou,
conformada de que havia perdido.

Romualdo não precisava ser assim:
indiferente,
coração duro,
ignorando o tempo todo
o amor de Ana.
Poderia mais tarde se arrepender
e aconteceu.

No caminho apareceu Ubaldo,
diferente de Romualdo,
que preencheu o coração de Ana,
regou seus sonhos,
fez-lhe carinhos
e num mundo real
idealizou castelos
para os quais Ana mudou-se.

Seria amor o que Ana
devotara a Romualdo?

Tão feio,
tão sem graça,
sem sorriso
Ubaldo!

Partiram para outra cidade,
sumiu o pensamento que a torturava,
bonito,
simpático,
pai dos seus filhos,

Ubaldo!
Virtudes criada pelo amor!

Comentários

Anônimo disse…
Quanta inspiração! Coincidência heim?
Z não amava M - era sim uma jovem que sonhava. Sonho interrompido bruscamente sem ter tido outra saída. Deus que nos conduz, haverá de dar o SEU perdão mesmo em vida.Ainda há esperança e tempo

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ