PERPLEXIDADE

O mineirinho chegou ao Rio de Janeiro e ficou encabulado. 
Vinha de uma cidade pequena onde conhecia quase todos os habitantes pelo nome e espantou-se com aquilo tudo. 
Ainda durante a viagem matutava quase não acreditando que estava por conhecer a Cidade Maravilhosa. Um paraíso de belezas naturais e mulheres bonitas. Praias, sol, mar de águas quentes e calmas. Que felicidade a sua! Maracanã, Leblon, Ipanema, Copacabana. Até o Aterro do Flamengo, Botafogo, Laranjeiras e a Lapa.

Seu ônibus parou na Rodoviária quando o dia já começava. Não fosse um velho amigo que o esperava, não saberia dar um passo naquele tumulto. Olhou para os lados e teve uma sensação de medo. Mas estava disposto a mudar de vida. Sua terra não lhe oferecia qualquer possibilidade. Não tinha emprego e quando aparecia algum, pagavam tão pouco que ninguém se encorajava de enfrentar.  No Rio a coisa seria diferente. Faltavam profissionais e o preço quem estipulava não eram os patrões.
 
O ambiente da Rodoviária foi o primeiro contato com a grande cidade. Sentiu tudo uma desordem. Quem poderia por ordem naquilo tudo? Sujeira por todos os lados, mau cheiro, e uma infinidade de gente engalfinhando-se por entre os corredores e ruas cheias, num constante salve-se quem puder.

Os amigos que o trouxeram levaram poucos dias para mostrar-lhe as belezas da cidade. Foi o período da lua de mel. Usou filtro solar para evitar queimaduras, vestiu uma sunga moderna  e banhou-se nas águas das praias mais badaladas da cidade. Um período que não esquecerá nunca.

Agora no trabalho, mistura cimento, bate mareta e toma banho de chuveiro com água minguada. Quase não acredita que está no Rio de Janeiro. Caminha pelas ruas e não encontra aquelas mulheres bonitas de quem tanto falavam. Perambuleia pela cidade sem localizar as construções, jardins e praças que tanto o encantavam quando via as novelas da Globo.

Teria acontecido uma metamorfose? Onde estariam as mulheres cantadas nas letras de tantas músicas famosas? A Garota de Ipanema envelheceu? Cantarolou sarcasticamente “e o Rio de Janeiro continua lindo”! E se perguntou: lindo com tantos bandidos, traficantes, arruaceiros, encapuzados a promoverem badernas e a quebrarem tudo? Cidade repleta de policias que não inspiram qualquer confiança. Matam, insinuam tragédias e a lei não faz nada? Cidade dominada por políticos que engordam seus bolsos indiferentes aos clamores do povo? 

- Não saia à noite, – recomenda o amigo.
Terá que dormir cedo, pois o dia seguinte o espera. O patrão quer urgência na entrega do trabalho. Tão cansado, nem ânimo tem para conhecer a noite!

- Que saudade da minha velha cidadezinha das Minas Gerais!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

LEMBRANDO MINHA IRMÃ