JUNHO

Junho é tão rápido:
nem bem começa termina,
passa como um vendaval,
ao embalo das pipocas,
amendoins e quentão,
recheado de meninas,
que fazem festas juninas,
na noite de São João!

Há risos e alegrias,
namoricos nas quadrilhas
por conta dos muitos santos:
tem Antônio,
tem João,
gente saltando fogueira,
alimentando as folias.

Nada aqui está ruim,
tem Pedro
e o santo Paulo,
santos que não tem fim...

Roupas de lá,
blusas grossas,
fogueiras já se acabando:
falta lenha pra queimar
e fumaça é puluição.

E junho me traz saudade,
junho é um mês tão diferente,
nele também nasci,
numa noite invernal,
estranhando o frio do mundo
embora fogueiras queimavam,
naquele dia gelado,
mas quente de tanto afeto.

Como ele, passo ligeiro,
dissolvo-me pelas fogueiras,
lembrando de meu passado,
vivendo os junhos que chegam,
sem me dar por satisfeito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FLORES DE MAIO

OS MENDIGOS DE ROMA

TEMPO DE PASSEIO