COISAS DE ITACARÉ

Esta história aconteceu comigo, no Fórum de Itacaré - BA.

Fui até lá para reconhecer a minha firma, num documento que estava fazendo ao meu filho Fausto, como seu aval.

Diferente do Paraná, onde o reconhecimento de firmas é feito em cartórios e rapidinho, na Bahia somente num Órgão Público como aquele.

Mas o que chama atenção é que para conseguir esse reconhecimento, necessário se torna que você esteja lá às oito horas e se coloque numa fila para pegar ficha. As nove chega um funcionário que distribui apenas vinte. Como a fila é muito maior, os que sobram permanecem ali até o momento que algum funcionário lhes comunica que o atendimento do dia será apenas para os vinte que receberam as senhas. Ouvem, balançam a cabeça, não falam nada, vão saindo conformados, dizendo que voltarão num outro dia.

O prédio do Fórum abre as oito, apenas a porta central. As portas das repartições internas, principalmente das que indicam os cartórios: cívil, eleitoral, crime, registro de imóveis, etc., estão fechadas.

Notei, em dois destes cartórios, placas avisando que não haveria atendimento naquele dia porque os funcionários estavam de férias.

Para encurtar a história, a senha que recebi foi a de número dez. E era apenas para reconhecer fima, como já disse. Fiquei esperando das oito até às onze horas, quando finalmente fui atendido.

Antes tive que brigar e discutir porque ninguém observava a ordem. Os funcionários chamavam: "o próximo" e aquele que podia, ou fosse mais cara de pau, entrava primeiro, numa total desorganização.

Meu Deus, os costumes brasileiros são tão diferentes!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O MANEZINHO E O COLEIRINHA

FLORES DE MAIO

TRABALHANDO EM BELÉM II