RETORNO DO FERIADÃO

Ligo a televisão e o assunto é o mesmo: tráfego complicado e acidentes na volta do feriadão.
Curitiba, que estava quase deserta, começa a ser tomada com o retorno dos que foram ao litoral ou ao interior do estado.
Ultimamente tenho diminuido minha ida à praia, pois levar quatro horas numa viagem que, em dias normais, não dura mais que uma hora e meia, não é fácil.
Sujeitar-se aos perigos constantes provocados por motoristas bêbados, pessoas apressadas e irresponsáveis, por indivíduos que entendem que os direitos só existem para eles, filas nos pedágios, ou por caminhoneiros que para distrair o sono das estradas combinam, pelos seus rádios amadores, e sobem a serra um ao lado do outro, ocupando todas as pistas e formando intermináveis filas de carros.
Os ocupantes dos carros pequenos se irritam, xingam, buzinam, enfiam-se pelo acostamento, dão jogo de luz pedindo passagem, sem qualquer atitude dos caminoneiros que se divertem.
A polícia rodoviária não faz nada.
Uma praia é maravilhosa, mas levar quatro horas para percorrer cem quilômetros num estresse desses, não sei se compensa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FLORES DE MAIO

OS MENDIGOS DE ROMA

TEMPO DE PASSEIO